Home
Página InicialEmpresaMapa do site Contato     
 






 

BCM News Nº6

28 de março de 2011 Edição Nº6
Fukushima: Lições de Continuidade de Negócios
  O incidente na usina nuclear de Fukushima, consequência do terremoto e do tsunami que atingiram o Japão, prendeu a atenção de todo o mundo. Apesar do cenário distante da realidade brasileira, o caso pode servir como um exercício bastante interessante para se pensar a continuidade de negócios. Pois, seja o cenário
 
um incidente de proporções globais como este, ou uma breve interrupção na estação local de energia que prejudica um pequeno número de empresas, o desafio que se impõe aos gestores é o mesmo: como se preparar no presente para minimizar o impacto de incidentes futuros.
  Assim, analisando o acidente na usina de Fukushima, podemos extrair algumas lições valiosas sobre planejamento em continuidade de negócios, como as que seguem:

Algum planejamento é sempre melhor que planejamento algum. Ainda que tenham ocorrido diversas falhas de planejamento na usina de Fukushima, alguns mecanismos de segurança (como um segundo compartimento de detenção ao redor do reator) impediram que os incidentes tomassem proporções maiores, como as de Chernobyl. Da mesma forma, qualquer esforço e investimento em continuidade de negócios dentro da sua empresa é válido, podendo minimizar o impacto de futuros incidentes. Além disso, mesmo organizações com gestões de continuidade de negócios bastante sólidas, começaram com planos modestos que foram ganhando maturidade.

Quando um planejamento é suficiente? A resposta a tal pergunta talvez seja uma das regras mais básicas da continuidade de negócios (mas nunca é demais ressaltá-la): o investimento na continuidade das operações se justifica pelo impacto da possível interrupção . No caso do Japão, dado os altos riscos humanos e econômicos envolvidos na interrupção do funcionamento da usina, os investimentos poderiam ter sido mais elevados. Ao invés de se planejar para um tsunami de 10 metros, era justificável se preparar para um de 30. Ao invés de se planejar para um terremoto de 8 pontos na escala Ritchter, era justificável se preparar para um de 9. Da mesma forma, processos de negócios cujas interrupções podem incorrer em impactos operacionais e financeiros elevados, justificam altos investimentos em continuidade de negócios. 

Incidentes diferentes podem ocorrer ao mesmo tempo. Os impactos gerados na usina seriam muito menores se ela tivesse sido atingida apenas por um terremoto, ou apenas por um tsunami. A ocorrência simultânea desses desastres multiplicou seus impactos. Da mesma forma, sua empresa pode ter um plano efetivo de continuidade de negócios voltado para blecautes, mas se encontraria desprotegida se o blecaute se combinasse, por exemplo, com uma enchente. Assim, faz parte de uma gestão madura de continuidade de negócios pensar em planejamento contra incidentes combinados.

Essa Newsletter foi trazida a você pela RecoveryPlanner Brasil.
Rua do Paraíso, 139, cj. 123 / São Paulo / CEP 04103-000
Fone: 2614-2776 Fax: 2614-2773
br.recoveryplanner.com